Elvis 1956


segunda-feira, 22 de junho de 2015

BLOG EVIS THE MAN GANHA NOVA SESSÃO PARA MELHOR INTERAÇAO COM OS FÃS


Resultado de imagem para elvis presley

eu digo Elvis dono e administrador do blog Elvis The Man fiquei um bom tempo sem postar nada no nosso blog mas tenho visitado e visto que muitos fãs seguidores frequentes tem sentido falta dos trabalhos feitos aqui e resolvi volta há todo vapor e resolvi criar uma sessão nova para o blog com o titulo foto do dia onde todo o dia estarei postando uma foto diferente mas sempre com informações como ano e local e algumas vezes acontecimentos relacionados e gostaria muito de pedir aos fãs que interajam com o blog pesam suas fotos favoritas por cronologia ano a ano eu seja 50 60 e 70 teremos prazer em publicar seu nome na foto postada mais uma vez agradeço a força dos fãs atenciosamente


DIEGO ELVIS SOUZA ADIMINISTRADOR

Ex Mulher De Elvis Presley Relembra Momentos De Seu Casamento Com o Mega Astro


Imagem relacionada


Não houve choro na capela, com exceção de lágrimas de alegria, quando Priscilla Presley recentemente serviu como dama de honra em uma cerimônia realizada na Graceland Wedding Chapel de Elvis Presley em Las Vegas.
A noiva do evento usava um vestido branco com sobreposição de renda, muito semelhante ao usado por Priscilla quando ela se casou com o Rei do Rock ‘n’ Roll em 1967. Lembranças daquele dia vieram à tona para Priscilla e ela falou à Closer Weekly:


“Me lembro de estar muito nervosa. Como qualquer casal, estávamos muito nervosos”.
A cerimônia aconteceu na nova capela que faz parte Graceland Presents Elvis: The Exhibition — The Show — The Experience at Westgate Las Vegas Resort & Casino. O casamento, que a família Presley participou, foi seguido por uma cerimônia de inauguração de uma exposição.
O rei poderia ter desfrutado as núpcias no Viva Las Vegas, mas Priscilla, que hoje tem 69 anos,


recordou que foi tudo bem diferente disso.
Meu casamento foi muito incomum. Só estiveram presentes pessoas bem próximas da gente, foi tudo bem privado e isso é o que nós queríamos. Nós não queríamos um fã-clube. Nós não queríamos um circo. Nós queríamos que fosse do nosso jeito e que aquele momento não fosse roubado de nós”.
Priscilla preza suas lembranças do dia especial, que aconteceu há 48 anos no dia 1 de Maio de 1967, quando ela tinha 21, mas ela também recorda das dificuldades que teve para manter a cerimônia e seu vestido em segredo.
Eu fui a lugares como a loja Neiman Marcus totalmente disfarçada. Eu cheguei a usar uma peruca e tudo apenas para tudo ficar em sigilo total!”, disse.


Elvis Presley: um outro lado do rei




Apesar de ter tido um irmão gêmeo que nasceu morto, Elvis Presley foi criado como filho único e, assim, foi superprotegido por sua mãe Gladys. O resultado foi ele ter desenvolvido uma espécie de fanatismo mórbido pela figura materna, o qual o acompanhou até sua morte. Dizem que, na mansão de Graceland, o quarto da mãe, depois desta ter morrido, ficou intocado e somente Elvis podia adentrá-lo.

A família real
A família real



Segundo o livro "Elvis E A Revolução Do Rock", escrito pelo biógrafo Sebastian Danchin e publicado no ano de 2010 pela editora Agir, o fato apontado no parágrafo anterior acabou tendo consequências na vida conjugal do "rei do rock".
Após sua esposa Priscilla dar à luz a filha Lisa Marie, Elvis não conseguiu mais vê-la como mulher. Era, em primeiro lugar, mãe e sua fixação pela figura materna anulou seus desejos sexuais pela esposa. Este foi um dos motivos do divórcio que teve, em muito, contribuição para a decadência física e mental que o levou à morte.
No mesmo livro é, também, narrada a obsessão de Elvis Presley por "ninfetas". Ele começou namorar Priscilla quando ela tinha apenas catorze anos de idade. O livro deixa a entender que tal obsessão tinha ligações com o "complexo" de Elvis em relação à figura materna: o corpo feminino em formação de uma adolescente não remetia ao corpo adulto de uma mulher, potencialmente uma mãe.
Paradoxalmente, tal "complexo" está ligado à educação excessivamente religiosa e moralista típica das famílias pobres do sul dos Estados Unidos no Pós-Guerra, a qual inculcava uma noção de respeito quase paranoica na mentalidade do indivíduo em relação aos valores familiares e, consequentemente, à importância da figura materna como sua principal mantenedora (para se ter uma ideia, Elvis se referia às pessoas mais velhas que ele como "senhor" e "senhora", mesmo as negras, isto numa região de forte tradição segregacionista). Jerry Lee Lewis, assim como Elvis, também era chegado numa "ninfeta". A sociedade, na região, encarava com normalidade a situação.
A fortuna de Elvis Presley conseguiu aglutinar ao seu redor uma gangue de sanguessugas e aproveitadores que ficou conhecida como Máfia De Memphis. Eles eram os responsáveis por sair, pelas noites da cidade, à "captura" de "ninfetinhas" que eram conduzidas a Graceland, para satisfazer os desejos do "rei".
Esta é apenas uma entre tantas histórias escabrosas narradas no referido livro. Leitura indicada para aqueles que idolatram astros da música e se esquecem que, antes de tudo, eles são de carne e sangue.